JUNTE-SE A MAIS DE 500 EMPRESAS
Entre para nossa lista e receba conteúdos atualizados e exclusivos com prioridade.
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

O congestionamento dos portos no sul da China é grande. O número de contêineres que não puderam se mover nessa região por causa de um surto de Covid-19 em torno do Porto de Yantian já ultrapassou o volume de contêineres retidos em março, quando o Ever Given bloqueou o Canal de Suez no Egito, estatísticas que servem para mostrar a gravidade da crise atual da cadeia de abastecimento que atingiu os transportes marítimos no sul da China. Agora, os atrasos em Yantian estão se espalhando para as vizinhas Shekou e Nansha.

Quando o gargalo começou há mais de duas semanas, o Terminal Internacional de Contêineres Yantian (YICT) administrado pela Hutchison culpou os cronogramas de embarque desajustados pela suspensão das operações de exportação carregadas.

De acordo com empresas que operam na região, a situação continua a piorar à medida que mais casos positivos da Covid foram confirmados em Shenzhen, onde os portos de Yantian e Shekou estão localizados, e em Guangzhou, onde o porto de Nansha está localizado.

Existe a perspectiva de atrasos de 14 dias. Engarrafamentos estão causando uma falta de capacidade de transporte, as retiradas de contêineres têm atrasos de 10 horas ou mais e muitos transportadores exigem pernoite para transporte, armazenamento e elevação, aumentando os custos.

De acordo com os últimos dados AIS da MarineTraffic, no dia 8/6, havia 33 navios de carga com destino a Yantian. E sem nenhum sinal de que a situação esteja melhorando, as companhias marítimas aumentaram o número de omissões no porto de Yantian.

Nesse cenário, a cada dia aumenta o acúmulo de cargas. Assim que os portos forem reabertos para as operações normais, especialistas afirmam que deve ser esperado um aumento de carga – pelo menos até que haja navios disponíveis para lidar com a situação. Isso, por sua vez, causará ondas de congestionamento potencial em destinos com um intervalo de tempo de cerca de duas a cinco semanas.

Veja o mapeamento que os especialistas da Pluscargo fizeram sobre a região esta semana:

Equipamentos:

A crise de equipamentos diminuiu em boa proporção. Há disponibilidade de 20´DC, 40´DC HC.  falta de NOR, que é a unidade de container Reefer que permanece desligada durante todo o trajeto, sendo muito utilizado para importação de carga geral seca e não restrita.

Situação em Shenzhen:

Terminal de Yantian em colapso. Além do terminal de Yantian, toda área do Rio Delta no Sul da China está comprometida. Portos como Huangpu, Xingang (Tianjing), Nantong, Fuzhou também estão com sérios problemas de congestionamento e boa parte dos armadores estão com stop booking para o mês de junho nessas regiões.

Situação em Ningbo:

Há espaço para embarcações em Ningbo, apesar de ser um porto menor, onde geralmente há congestionamentos e falta de espaço com mais frequência. Pode ser uma opção para o período, dependendo das necessidades dos importadores e exportadores.

Situação em Xangai:

Espaço restrito, mas ainda é possível fazer alocações sem grandes intercorrências.

Fonte: https://pluscargo.com.br/a-situacao-de-shenzhen-na-china-e-o-impacto-para-o-comercio-exterior/

Gostou do Conteúdo? Compartilhe!